Saiba o que são e como atuam os Negócios Sociais

Você já deve ter ouvido falar deles: os Negócios Sociais. Muitas pessoas hoje vêm apostando nesse novo modelo de negócios e empreendendo de uma forma inovadora e que busca melhorar a qualidade de vida de muitos e contribuir com o meio ambiente.

Quer saber mais como funciona, de onde surgiu e os princípios básicos que os caracterizam como tal? Continue lendo esse post!

Assim como já falamos como o capitalismo pode ser usado para impactar de maneira positiva o mundo e as pessoas, os negócios sociais também utilizam desse sistema para alcançar resultados diferentes, com uma perspectiva voltada para o social e não apenas o lucro.

Negócios Sociais são empreendimentos que possuem uma única missão: solucionar um problema social. Para isso, atuam sendo autossustentáveis e sem distribuir dividendos (parcelas de lucros distribuídos aos acionistas).

De forma semelhante às ONGs, os negócios sociais possuem a missão social. Mas ao mesmo tempo baseiam-se também em modelos de negócios tradicionais para arrecadarem fundos a fim de manterem a empresa.

Como já dito, não há distribuição de dividendos. Mas e o lucro? O lucro que é gerado pela empresa é reinvestido na própria empresa, para aumentar e otimizar o impacto social, alcançando os objetivos definidos.

Afinal, o sucesso de um negócio social não é medido pelo lucro gerado, mas sim pelo impacto que causa nas pessoas e no ambiente. O termo negócios sociais surgiu na década de 1970, com o economista Muhammad Yunus. Ganhador do prêmio Nobel da Paz, Yunus percebeu que poderia ajudar a erradicar a pobreza onde morava, em Bangladesh.

Ele começou emprestando de seu próprio dinheiro a 27 mulheres extremamente pobres, com taxas bancárias normais, no formado de microcrédito. E sim, ele recebeu o capital e os juros de todos os empréstimos. Assim nasceu o Grameen Bank, o banco que Yunus criou para continuar oferecendo microcrédito, com o propósito de acabar com a pobreza.

A partir daí, esse modelo de negócio social começou a influenciar pessoas em todo o mundo a terem iniciativas semelhantes.

Para que um negócio seja considerado social, deve apresentar alguns princípios básicos:

1) Objetivo deve ser redução de algum problema social

É primordial que o negócio tenha como foco principal minimizar algum problema social (relacionado à pobreza, saúde, educação, acesso à tecnologia ou meio ambiente) que gere ameaça à sociedade, e não adquirir lucros para si ou acionistas.

2) Financeira e Economicamente Sustentável

Uma vez que a empresa deve aplicar o lucro gerado no próprio negócio a fim de maximizar seu impacto social, isso permitirá que ela seja autossustentável financeiramente, não dependendo de doações ou mantenedores para continuar atuando.

3) Nenhum dividendo é pago além do que é investido

Os investidores podem receber de volta apenas o valor que foi investido, não recebendo lucros sobre os investimentos feitos no negócio. Esse é um princípio importante para que se possa alcançar os objetivos traçados.

4) Lucro fica na empresa

O lucro deve permanecer na empresa para que haja melhorias nos processos e otimização dos impactos que busca causar na sociedade e no meio ambiente. Isso promoverá expansão do negócio para um maior número de pessoas e também outros locais.

5) Ambientalmente consciente

Se uma empresa tem como foco o meio ambiente ou até mesmo outra macro área (saúde, educação, entre outros), é necessário basear suas ações em processos sustentáveis para com o meio ambiente.

6) Colaboradores também são beneficiados

Os funcionários de um negócio social recebem valor de mercado como em uma empresa tradicional e com melhores condições de trabalho. Ao ter em sua missão o bem da sociedade, faz todo o sentido que a empresa tenha um ambiente de trabalho que motive e reconheça os colaboradores.

7) Fazer isso com alegria

Um negócio social busca atuar com propósito, tendo sua missão social que direciona as ações para melhorar a vida de muitas pessoas. Por isso, quem se envolve nesse modelo de negócio acaba fazendo o que gosta e com o sentimento de impactar vidas. Isso colabora para que haja mais motivação e alegria no trabalho.

Diante disso, dá para perceber que os Negócios Sociais são iniciativas que mostram que é possível utilizar os modelos de negócios tradicionais para alcançar um mundo melhor, mais justo e igualitário.

A responsabilidade social também está inserida nesse contexto, ao conscientizar empresas sobre o motivo real de sua atuação, indo além da geração de lucro e dividendos, mascausando transformação social.

Quer saber mais sobre iniciativas de organizações que vêm focando em impactos sociais positivos? Leia o post sobre as Empresas B e como esse movimento propaga o desenvolvimento sustentável de empresas em todo o mundo.

Thomas Cosin